domingo, 5 de abril de 2009

Mundo pequeno...


Que São Paulo é uma cidade cheia de restôs pra lá de bons, escondidos, aparecidos, de gastronomia de tudo que é lugar do planeta, eu já havia percebido. Mas Santo Amaro? Meu imenso bairro tem me surpreendido dia após dia. Recebi um convite pra conhecer um restaurante Grego. - "Ah! Mas já fui ao Acrópolis, no Bom Retiro, umas três vezes. É realmente muito bom". - "Não. É o Café Olímpia, na Estilo Barroco, em frente ao Borba Gato, em Santo Amaro mesmo". Quase esquina com a Américo Brasiliense, na Chácara Santo Antônio, passo em frente todos os dias e nunca vi o tal do lugar. Total escondido pelas trepadeiras do largo muro. O nome do lugar, bem pequeno e pintado em letras azuis, foi impossível de localizar de dentro do carro. Mas depois de estacionar tranquilamente na própria rua, a porta se abriu e pude ver um lugar grande com fotos de praias paradisíacas e prêmios gastronômicos

decorando as paredes branquinhas junto com as bandeiras da Grécia e do Brasil, alinhadas pra receber o cliente. Um antepasto de beringela e outro de iogurte com pepinos e erva doce acompanharam charutinhos e almôndegas miúdas. Tudo muito gostoso.

Mussaka e carne de vitelo.

Ouzo, a bebida forte a base de anis, e um mussaka e carne de vitelo, com o toque perfeito da canela, completaram o banquete grego. Não demorou a música ao vivo começar. Muito alta. Não dava mais pra conversar. Então o restaurante inteiro, inteiro mesmo, se levantou pra dançar. Ver homens dançando sem medo de absolutamente nada é o charme mais encantador que se pode provar.

Mocinhos gregos dançando. E lindos.

Um astral delicioso que sempre vai até o meio da madrugada. Minhas energias acabaram antes, mas várias gerações de família inteiras se revezaram naquele ritual de dançar e arremessar pratos por sobre as cabeças nos pés dos dançarinos. Numa de minhas

Cerâmica pra quebradeira.

viagens, vi que há um certo preconceito pela Europa com essa felicidade gratuita dos gregos. Porque é felicidade mesmo. Festejam a vida e aproveitam o que ela tem de melhor: comer e dançar. Já tem um tempo que notei, mas ontem tive a certeza de que algum antepassado meu se enganou. Tenho sangue grego. E minha família toda veio de lá. Porque pra fazer barulho igual, só sendo grego mesmo.


video

Um pedacinho da festa.

2 comentários:

  1. Obrigado pelo lindo.A proposito meu filho Adonis è o da direita. Realmente è um lugar feito para estravassar nossa alegria de viver e nos sentimos felizes de compartilhar com os visitantes.É um lugar estritamente familiar,feito para manter acessa a cultura de nossos antepassados.Por isso o fazemos com prazer juntamente com a familia, tao esquecida neste tempos.... A guardamos seu regresso . PROCOPIOS.PS:somos apenas frequentadores do local.

    ResponderExcluir
  2. Obrigada pela visita aqui no Blog! Podexá que voltarei em breve p curtir um pouquinho mais dessa alegria tão boa! Um abraço!

    ResponderExcluir

Já mochilou ou quer mochilar por aqui também?