domingo, 10 de agosto de 2008

Lev Tolstói...


A Sonata a Kreutzer, Beethoven apresentou em 1803 e a dedicou originalmente a George Bridgetower, um ex-escravo mulato-polonês prodígio ao violino, que de maneira brilhante executou um movimento dificílimo da peça. Beethoven arrebatado, chamou-a de Sonata per un mulaticco lunattico. Após um comentário indelicado do violinista em relação a uma dama amiga de Beethoven encerrado com uma acirrada discussão entre os dois, Beethoven pede de volta a partitura e retira a dedicatória, oferecendo-a a seu amigo Rodolphe Kreutzer, violinista francês que nunca conseguiu executar a peça em público. Tolstói escreveu em 1889, um texto espetacular e atualíssimo inspirado na composição. Como Simone de Beauvoir, discute as relações de poder entre homens e mulheres. Como Baudrillard, fala do corpo e seus significados sociais. Como Freud, argumenta os pulsos que regem a razão. Como Dawkins, mostra o lado bicho do ser humano. Mas faz isso melhor, porque usa de uma estória, de um romance, de um drama pessoal baseado em sua própria história. Isso tinha que virar filme. Já tenho a Sonata pra ouvir enquanto termino a leitura (Lev Tolstói. A Sonata de Kreutzer. 1889. Editora 34. Edição 2007).
--
Tem Bienal Internacional do Livro de SP de 14 a 24 de agosto, no Anhembi.

4 comentários:

  1. Olá, cheguei aqui casualmente, depois de visitar o Conversas Furtadas, e foi muito interessante encontrar de cara a história da Sonata Kreutzer. Escrevo para contar o capítulo seguinte desta história, que você não contou aqui.
    A Sonata começou na música, com Beethoven, e virou literatura, com Tolstoi. Então, na década de 20, o compositor tcheco Leos Janacek inspirou-se no livro de Tolstoi para escrever seu primeiro quarteto de Cordas, chamado justamente de "Sonata Kreutzer", fechando assim o ciclo, e retornando esta história para o terreno da música.
    Um pouco mais da história do compositor e da obra você acha
    aqui e aqui.
    Quanto ao quarteto de cordas do Janacek, na minha opinião pessoal, é extraordinário...

    Era isso, espero que a historinha tenha sido interessante!

    Alysson
    alyff_rs (arroba) yahoo com br

    ResponderExcluir
  2. Olá,
    Tudo bem? Gostaríamos de te convidar a colocar os textos do Slow Food Brasil na lateral de seu blog. Se gostar da idéia, saiba como fazer isso nessa página: www.slowfoodbrasil.com/content/view/234/62/

    Entre os blogs que já colocaram as notícias em seus sites estão: Come-se, Alimento para pensar, Orgânicos e Sustentáveis, Quiche com macaxeira, Comadre Fulozinha, La Cucinetta etc.

    Abraços,
    Equipe Slow Food Brasil
    www.slowfoodbrasil.com

    ResponderExcluir
  3. Lulu mandou por e-mail:

    "Oi Sil

    O blog não aceitou meu comentário.

    Achei muito interesante, vou procurar o livro. Cê é chic heim?! Escutando a música enquanto lê a obra, great!!!

    Bj Lucinha"

    ResponderExcluir
  4. Olá Alysson,
    Nem preciso dizer que adorei seu comentário sobre o capítulo seguinte. Adoro ler histórias assim. Vou olhar os sites que vc mandou e procurar as Sonatas de Janecek! Tks pelas dicas!
    Ps.: vc não tem blog onde conta mais causos pra visitarmos?
    Abraços, Sill

    ResponderExcluir

Já mochilou ou quer mochilar por aqui também?